Setor Juventude

Setor Juventude

Desde o ano de 2007, a Igreja no Brasil vem empenhando-se, em construir e fortalecer o Setor Juventude nas dioceses, espaço de diálogo e unidade a partir de Jesus Cristo. O documento 85: desafios e perspectivas pastorais, apresenta alguns aspectos, entre eles, diz que a juventude é uma prioridade para a missão da Igreja, mora no coração da mesma. Também ressalta a relevância do Setor Juventude na Diocese, para que se possa unir forças em pro do anúncio de Jesus Cristo a outros jovens. “Jesus, vendo que eles o seguiam, perguntou-lhes: ‘Que procurais’ Eles responderam: ‘Mestre, onde moras?’. Ele respondeu: ‘Vinde e vede’. Foram, viram onde Jesus morava e permaneceram com ele aquele dia” (Jo 1,38-39).

A evangelização implica em primeiro lugar, testemunho de vida, isto é, a vivência da Fé concretamente no dia a dia, para anunciar o Evangelho.  Assim, proporciona-se o anúncio querigmático da pessoa de Jesus Cristo. O jovem a partir da sua liberdade de escolha, faz a aderência a Ele, à comunidade eclesial. Em seguida, essa experiência deverá ser aprofundada em grupos de convivência, que devem conduzir catequeticamente a uma maturidade na fé e a prontidão para ser discípulo e protagonista na construção do Reino de Deus por toda a vida.

O documento da CNBB acima citado, traz uma proposta de Setor Juventude, mas não quer ser um imperativo, porque leva em consideração, a reflexão das Igrejas locais. Pois ao mesmo tempo que propõe, valoriza a realidade de cada Igreja particular. Algo que deve perpassar em todas as dioceses, é a comunhão com o Plano de Pastoral Diocesano, tanto na sua construção, o protagonismo do jovem na elaboração, como na execução, o jovem vivenciando no seu grupo, na sua comunidade, a proposta Diocesana de ser Igreja.

Na Igreja Diocesana do Rio Grande, não tem sido diferente. Em 2008, começou-se a construção do Setor Juventude, um espaço onde se quer fortalecer as expressões juvenis eclesiais, no processo de Evangelização da Juventude. E valorizar a caminhada juvenil, que vinha acontecendo ao longo dos anos.

O Setor Juventude na Diocese do Rio Grande, compõe-se das seguintes expressões juvenis: PJ (Pastoral da Juventude), PJM (Pastoral Juvenil Marista), PU (Pastoral Universitária), Gen 3 (Folcolares), Nazareth, Emaús, Eterna Semente, ENJO, Ministério Jovem (Renovação Carismática Católica) Legião de Maria Juvenil e os diversos grupos juvenis. A unidade entre estas diversidades é Jesus Cristo, “Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo” (1Cor 12,4).

1) Núcleo do Setor Juventude:
Nunca é bom realizar um trabalho sozinho! Tanto para pensar no que será realizado, quanto para tomar a iniciativa de realizá-lo ou executá-lo.  Com o Setor Juventude as coisas também são delineadas assim. O assessor do Setor Juventude, em muitos casos, acaba por se tornar o seu coordenador, administrador e articulador. É preciso dividir tarefas, para multiplicar forças. Este é o papel daquilo que provisoriamente chamamos de Núcleo. O Núcleo do Setor é formado por algumas pessoas escolhidas pelo assessor do Setor com o fim de ajudá-lo em sua missão. Não se trata de um grupo representativo, mas de jovens e assessores de grupos ou movimentos, que o auxiliam a formar, articular e comunicar todas as iniciativas diocesanas no trabalho de evangelização da juventude, envolvendo a todos. Assim, tudo chegará melhor e mais rápido em todas as “células vivas” da diocese.

Assessoria do Setor Juventude

Pe. Rômulo Conceição
padreromulo@trijovem.com.br